quinta-feira, outubro 23, 2014

Qual o futuro do país, cuja presidenta, anda tão mau acompanhada?

Esse blog não obedece, nem segue a cartilha de chefe político algum, por isso aqui não tem censura.

Quem não pode ficar fora da comissão de frente do Bloco da Dilma?

Direto ao Ponto


Confiantes na condenação à perpétua impunidade, satisfeitos com a vida mansa, animados com a engorda das contas bancárias, sorriem no cartaz concebido pelo PT alguns titulares da comissão de frente do Bloco da Dilma, entidade político-policial cujo presidente de honra é Lula. O timaço de comentaristas está convidado a eleger os companheiros que não podem ficar fora do bando que levantaria a arquibancada se topasse abrilhantar o desfile carnavalesco no pátio da Papuda.


Coluna do Augusto Nunes

Cid Gomes abre processo contra 13 oficiais que declararam voto ao capitão Vagner


Pelo menos 13 oficiais poderão ser punidos, e até expulsos da Polícia Militar do Ceará, por terem declarado voto publicamente à candidatura do vereador e, agora, deputado estadual eleito Capitão Wagner (PR) e ao cabo Sabino – eleito deputado federal. A manifestação de apoio aconteceu pela Internet semanas antes da realização do 1º turno das eleições deste ano.

Em rota de colisão com a PM que apoia o deputado eleito Capitão Wagner, o governador Cid Gomes (Pros) determinou a abertura de processo disciplinar para punir os militares. A relação dos oficiais foi publicada no Boletim do Comando Geral 196, da última segunda-feira(20).

No Boletim é informado que consta como prova da transgressão disciplinar “documentação sob SPU nº14672828-9, ofício nº953/2014 - GAB/ SSPDS/CE, que versa sobre manifestação político-partidário por parte dos Oficiais. E ainda manifestações estas de apoio a candidaturas partidárias a cargos eletivos a deputado estadual e deputado federal pelo estado do Ceará, aonde declinam o posto hierárquico, gravadas imagens e vozes em CD-Rom (compactic disc)”, relata o documento assinado por Cid Gomes.

Confira a relação dos oficiais que serão punidos:

Coronel Francisco Cavalcante de Paula Neto,
da reserva. Foi comandante do 3º BPM em Sobral

Tenente-coronel Eugênio Eduardo Costa Carneiro,
lotado na CSAS/ PMCE;

Major PM Plauto Roberto de Lima Ferreira,
à disposição da SEJUS.

Capitão PM Cícero Nonato Sousa Passos,
lotado na Controladoria Geral dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário

Capitão PM Francisco Everton De Farias Torres,
lotado na 3ª Cia/12ºBPM.

Capitão PM Humberto Maia Costa Filho,
 lotado na 4ªCia/16ºBPM.

Capitão PM Antônio Gesivando de Melo Andrade,
lotado na 2ª Cia do 14ºBPM.

Capitão PM Jone de Castro Brasil,
lotado na CALP/PMCE;

Tenente PM Dyego Galdino Barcelos,
lotado na 1ª Cia/16º BPM;

Tenente PM Aluísio Teixeira da Silva,
lotado na CFJM/PM.

Tenente PM Antônio Lincoln Araújo Batista,
lotado na Secretaria Executiva da PMCE.

Tenente PM Alano Timbó Magalhães Bizarria,
lotado na 3ªCia do BPCOM.

Tenente PM Nara Chagas Fernandes,

 lotada na 2ª Cia/EPMONT;

SEGREDO DAS URNAS: 'VAI TER QUE SER ASSIM', DIZ TOFFOLI


Por cerca de meia hora, os sete ministros e alguns técnicos do Tribunal Superior Eleitoral deverão guardar em segredo o nome de quem governará o Brasil a partir de 2015. O presidente da corte, Dias Toffoli, estima que o resultado da eleição será definido por volta das 19h30 de domingo. No entanto, a informação só poderá ser divulgada às 20h, quando as urnas do Acre estiverem fechadas. "Eu não gostaria, mas vai ter que ser assim", diz o ministro. Ele promete que não haverá vazamentos. A informação é de Bernardo Mello Franco, na Folha de S.Paulo de hoje.

Dias Toffoli -- continua o colunista -- diz que a proibição de ataques na propaganda também pode melhorar o nível dos debates na TV. Ele critica o encontro do SBT, marcado pela troca de acusações entre Dilma Rousseff e Aécio Neves.


"Os dois, como candidatos a presidente, deveriam se recusar a obedecer os marqueteiros. Em sã consciência, nenhum dos dois diria o que foi dito", reprova o presidente do TSE.

PESQUISAS SEM CREDIBILIDADE. GOVERNO DILMA PAGA R$ 5,2 MILHÕES, SEM LICITAÇÃO AO IBOPE


Dos R$ 12,7 milhões pagos pelo governo Dilma Rousseff (PT) a institutos de pesquisa, R$ 11 milhões foram destinados somente a empresas do grupo Ibope.

E sempre sem licitação. O Ibope embolsou R$ 5,2 milhões, por exemplo, somente nos últimos três anos e dez meses, para confirmar o que todo mundo já sabe, principalmente no governo: não sai do “traço” a audiência da TV Brasil, a “tevê do Lula”.


Diário do poder

Polícia federal apreende menores que distribuíam panfletos contra candidato



quarta-feira, outubro 22, 2014

É gravíssimo o que retrata o texto que você vai ler abaixo

Direto ao Ponto

TERCEIRO BOLETIM DO DATANUNES DESMENTE O DATAFOLHA, PROVA QUE ‘EMPATE TÉCNICO’ QUER DIZER ‘EM CIMA DO MURO’ E CONSTATA QUE AÉCIO CONTINUA 10 PONTOS ACIMA DE DILMA


Até recentemente, o Brasil esquecia a cada 15 anos o que havia acontecido nos 15 anos anteriores.O intervalo entre os surtos de amnésia foi dramaticamente reduzido.

No caso das pesquisas eleitorais, por exemplo, o país agora esquece a cada 15 dias o que aconteceu faz 15 dias. O afundamento do Datafolha e do Ibope consumado em 5 de outubro mal completou duas semanas. Mas parece mais antigo que o naufrágio do Titanic, informa a credulidade de incontáveis nativos reapresentados a levantamentos estatísticos que prenunciam a reprise do desastre.

A pesquisa divulgada pelo Datafolha nesta segunda-feira é apenas outro chute de longa distância que vai mandar a bola às nuvens ou fazê-la roçar o pau de escanteio. Na sopa de algarismos servida pelo instituto na semana passada, Aécio Neves tinha 51% dos votos válidos e Dilma Rousseff, 49%. Nesta tarde, ela apareceu com 52% e ele com 48%. Quer dizer que a candidata à reeleição ultrapassou o adversário tucano e lidera a corrida?

Não necessariamente, previne a margem de erro de 2% (para cima ou para baixo). O que há é um “empate técnico”, expressão que quer dizer “em cima do muro”. Tanto ela quanto ele podem ganhar, descobriram os videntes de acampamento cigano. Em números absolutos, Dilma teria subido em quatro dias 4 milhões de votos. (Ou 2 milhões, murmura a margem de erro para baixo; ou 6 milhões, grita a margem de erro para cima).

Sejam quais forem as reais dimensões da multidão, é gente que não acaba mais. De onde teria saído? Das grutas dos indecisos ou dos porões que abrigam os que pretendem votar em branco é que não foi: segundo o mesmo Datafolha, esse mundaréu de eleitores não aumentou nem encolheu.

 Teriam legiões de aecistas resolvido mudar de lado? Pode ser que sim, avisa a margem de erro para cima. Pode ser que não, replica a margem de erro para baixo.

A coisa fica mais confusa quando se fecha a lente sobre as cinco regiões em que se divide o mapa nacional. Os dois institutos enxergam Aécio com vantagem considerável no Sul, no Sudeste e no Centro-Oeste. Dilma reina no Nordeste e vence no Norte. Seria esse patrimônio eleitoral suficientemente encorpado para impor-se ao restante do Brasil? Não, adverte a recontagem dos índices e eleitores de cada região. (“Nem que a vaca tussa”, diria a presidente cujo vocabulário anda tão refinado quanto o andar de John Wayne ao fim de um dia de filmagem especialmente exaustivo).

Os horizontes se turvam de vez com a contemplação isolada das unidades da federação. Sempre segundo as usinas de índices contraditórios, Aécio já superou Dilma no Rio Grande do Sul, equilibrou a disputa no Rio, assumiu a liderança em Minas Gerais, cresceu extraordinariamente em Pernambuco. Subiu em praticamente todos os Estados. Mas a soma dos levantamentos estaduais avisa que foi Dilma quem cresceu mais. As alquimias dos ibopes da vida, decididamente, não são acessíveis a cérebros normais.

Para acabar com a lengalenga, e botar ordem no bordel das porcentagens, o DataNunes acaba de divulgar o terceiro boletim sobre o segundo turno. Como se sabe, é o único instituto que, em vez de pesquisas, faz constatações, com margem de erro abaixo de zero e índice de confiança acima de 100%. Como o crescimento de Dilma no Nordeste foi neutralizado pelo avanço de Aécio nas demais regiões, os índices não mudaram: com 55%, o senador do PSDB continua 10 pontos percentuais à frente de Dilma, estacionada em 45%.

A troca de acusações intensificada nos últimos dias nada mudou. Os simpatizantes do PT não ficaram chocados com as agressões verbais de Dilma, nem estranharam o vocabulário de cabaré vagabundo usado por Lula. Sempre foi assim. Os partidários de Aécio, exaustos do bom-mocismo que contribuiu para a derrota de Serra em 2002 e 2010 e para o insucesso de Geraldo Alckmin em 2006, aplaudiram o desempenho do líder oposicionista.

Graças à altivez e à bravura de Aécio, pela primeira vez os vilões do faroeste não conseguiram roubar até a estrela do xerife. Pior: desafiados publicamente, os campeões da insolência piscaram primeiro. No debate da Record, Dilma escancarou já na entrada do saloon a decisão de fugir do tiroteio verbal que esquentou o confronto no SBT. Compreensivelmente, Aécio resolveu levar a mão ao coldre com menos frequência. Mas os fatos e a sensatez recomendam que se mantenha na ofensiva.

Foi depois do debate na Globo, o último promovido no primeiro turno, que um Aécio Neves exemplarmente combativo assumiu de vez o papel de porta-voz dos muitos milhões de indignados.

 A tática do coitadismo, adotada por Dilma por ordem de Lula, é mais uma prova de que a seita lulopetista está com medo. Teme que o adversário utilize toda a munição de que dispõe e faça com Dilma o que Dilma fez com Marina Silva. O clube dos cafajestes sonha com um líder oposicionista desarmado.

Sobretudo por isso, Aécio Neves tem o dever de manter engatilhado o trabuco retórico. Ele representa hoje o Brasil que resiste há 12 anos a um bando para o qual os fins justificam os meios.

 No domingo, o país não vai simplesmente optar entre um homem e uma mulher. A nação escolherá entre a decência e o crime, a honradez e a corrupção, o Estado de Direito e o autoritarismo bolivariano, os democratas e os liberticidas, a luz e a treva, a modernidade e a velharia.


Mais que o segundo turno da eleição presidencial, vem aí um plebiscito: o PT continua ou para? Segue colecionando delinquências impunes ou cai fora? A primeira alternativa mantém o país enfurnado na trilha do atraso. A segunda pavimenta a estrada que leva para longe do primitivismo e conduz ao mundo civilizado.

Deu no Cláudio Humberto


terça-feira, outubro 21, 2014

CID VOLTA A PEDIR LICENÇA DO GOVERNO PARA SE DEDICAR À CAMPANHA DE CAMILO


O governador Cid Gomes (Pros), informou nesta terça-feira (21) que pediu novamente licença do cargo para se dedicar à campanha de Camilo Santana (PT) à sucessão estadual.

A informação foi divulgada após assinatura da ordem de serviço para obras da Ferrovia Transnordestina, no município de Missão Velha, região do Cariri.

Adiada

A licença, segundo informou, seria iniciada na segunda-feira (20), mas foi adiada por causa da agenda com os ministros Miriam Belchior, do Planejamento, e Francisco Teixeira, da Integração Nacional.

Primeiro turno

No primeiro turno, Cid também se licenciou para apoiar Camilo Santana. Na ocasião, o presidente do Tribunal de Justiça do Ceará, desembargador Luiz Gerardo Pontes Brígido, assumiu o governo do estado.

Presidente da AL


Agora, o presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque (Pros), assumirá, tendo em vista que a legislação eleitoral permite. Na ocasião anterior, ele estava impedido sob pena de ficar inelegível para o cargo de deputado estadual ao qual disputava. Albuquerque foi reeleito.

A partir desta terça-feira prisões só ocorrerão em flagrantes


A partir de hoje (21) e até 48 horas após o encerramento das eleições, nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, salvo em flagrante delito, em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável ou por desrespeito a salvo-conduto. A determinação está no Código Eleitoral, caput do Artigo 236.

No domingo (26), quase 143 milhões de eleitores voltam às urnas e escolherão entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) para comandar o país pelos próximos quatro anos. Eleitores de 13 Estados e do Distrito Federal também definirão seus novos governadores neste segundo turno.


Mesmo com o horário de verão, que começou no último domingo, nos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste e no Distrito Federal, o período de votação no segundo turno não terá qualquer alteração, ou seja, será das 8h às 17h, obedecendo o horário local.

Garantia safra. Nova Russas, Ipueiras e Ipaporanga ficam fora da lista de municípios beneficiados

De acordo com informações da Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA), de agosto a outubro deste ano o Governo efetuou o pagamento do Garantia Safra no valor de R$ 142,5 milhões a 167.711 agricultores de 77 municípios cearenses.
Somente no mês de outubro, 86.699 agricultores foram beneficiados, tendo Quixeramobim apresentado o maior número de inscritos: 7.394. O montante pago em outubro é de R$ 73,6 milhões.

Na região, Ararendá, Catunda, Croatá,Hidrolandia, Pires Ferreira, Poranga, e Varjota foram beneficiados com a liberação do dinheiro dos agricultores. Ipueiras, Ipu, Nova Russas, Ipaporanga devem ter seus pagamentos liberados no início de novembro.

O MDA libera o garantia safra por lotes, com base em análise do IBGE, INPE e outros órgãos do governo federal que avaliam dentro dos critérios a realidade de cada município com relação as perdas, área plantada, enfim todo o diagnóstico é comparado com dados técnicos do laudo de cada município, tem a sua liberação confirmada através de portaria. Só depois de aprovado é que sai a liberação dos pagamentos do beneficio. 35 municipios foram beneficiados

Garantia safra – Folha de outubro de 2014:

Apuiarés – 1.419
Aracati – 2.616
Ararendá – 1.209
Arneiroz – 964
Beberibe – 2.358
Boa Viagem – 6.544
Campos Sales – .817
Canindé – 6.362
Cascavel – 1.761
Catunda – 789
Croatá – 1.899
Deputado Irapuan Pinheiro – 1.501
Forquilha – 774
General Sampaio – 663
Hidrolândia – 2.452
Ibicuitinga – 1.582
Iracema – 795
Itapagé – 1.907
Itapipoca – 6.827
Madalena – 2.795
Morada Nova – 4.500
Morrinhos – 1.871
Palhano – 660
Parambu – 2.969
Pindoretama – 222
Pires Ferreira – 962
Poranga – 920
Quiterianópolis – 3.624
Quixadá – 4.215
Quixeramobim – 7.394
Santana do Acaraú – 3.641
Tauá – 5.817


Tejuçuoca – 1.293

Aécio e Dilma estocaram munição para gastar no debate da Globo


No debate da Record entre os candidatos a presidente da República, o mais interessante aconteceu durante os intervalos: um comercial da campanha de Aécio onde se ouve a voz de Dilma, em entrevista antiga à Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte, elogiando seu atual adversário.

O comercial foi ao ar mais de uma vez, pegando os espectadores de surpresa. Dilma diz que Aécio era um dos melhores governadores de Estados. Comercial matador, como gostam de dizer publicitários em geral e marqueteiros em particular.

No mais, foi um debate sem graça, morno quase frio. Os dois candidatos maneiraram depois de um debate sanguinolento como foi o do SBT na última quinta-feira. Aécio, claramente, não queria dar motivos para que o acusassem de desrespeitar uma mulher. Mediu cada palavra que disse.

Dilma foi mais afoita. Deveu-se ao seu temperamento. Sempre que pode, deu estocadas em Aécio. Mas nada capaz de esquentar os ânimos – nem os de Aécio nem os dela mesma.

Os dois se enfrentaram pelo empate. Certamente estocaram munição para disparar no debate da próxima sexta-feira, a ser promovido pela Rede Globo de Televisão. Será o último e decisivo debate desta eleição.

Por que decisivo?

Porque tudo indica que os candidatos chegarão empatados às vésperas da eleição. Hoje, conheceremos mais um resultado de pesquisa Datafolha. A da semana passada deixou claro que a eleição será decidida pelos eleitores indecisos – algo como 6% do total.

No primeiro turno, segundo o Datafolha, 8% dos eleitores disseram ter escolhido em quem votar quando faltava uma semana para isso. No sábado, véspera do dia da eleição, 6% escolheram seu candidato. E no domingo, 9%.

Portanto, salvo se o acaso fizer uma surpresa, somente no domingo à noite, pouco depois das 20h, horário de Brasília, saberemos quem se elegeu presidente. Até lá, haja coração!


(Ricardo Noblat)

MÁQUINAS POLÍTICAS TERÃO PESO DECISIVO NA RETA FINAL


Em nova coluna em seu blog no 247, Tereza Cruvinel afirma que, mantida disputa equilibrada entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e o candidato do PSDB, Aécio Neves (PSDB), "ficará evidente que o marketing não desempata mais a disputa" e que a decisão do vencedor no segundo turno terá de vir da força das máquinas políticas. "Isso acontece quando, esgotados todos os recursos de autopromoção e desconstrução do outro, a decisão passa a depender da força eleitoral dos agentes políticos aliados a cada um", diz ela.

"No caso presente, dos candidatos a governador, dos prefeitos e caciques regionais com poder de influência sobre a decisão de grandes blocos de eleitores. São os feudos, outrora chamados de currais eleitorais", continua a jornalista, sobre o cenário atual. Ela cita que, em 2002, as máquinas pesaram muito a favor da vitória de Lula contra Serra, assim como no segundo turno de 2010, quando Lula articulou a ação dos aliados de peso a favor de sua candidata, Dilma Rousseff.

"Em matéria de marketing, a não ser que voltem a partir para os golpes baixos, tática de que parecem ter desistindo, os dois candidatos já queimaram os principais cartuchos", observa Tereza. Ela acredita que, "estando no poder, tendo a gratidão e o apoio de boa parte dos governadores e dos prefeitos, Dilma leva vantagem na ação das máquinas eleitorais nos estados". Mas que Aécio, "em matéria de 'grandes máquinas', conta com alguns puxadores importantes, como a família Campos em Pernambuco, Geddel Vieira Lima na Bahia, os Bornhausen em Santa Catarina, Marcone Perillo em Goiás, para ficar nos estados com maior peso".


LULA ATACA NOVAMENTE A IMPRENSA, E CITA NOMES


Em evento de campanha ao lado da presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou nesta segunda-feira a atacar a imprensa. Desta vez, porém, foi além da crítica institucional e citou os nomes de jornalistas: Miriam Leitão, que trabalha no GLOBO, na TV Globo e na Globonews, e William Bonner, apresentador do “Jornal Nacional”.

— Daqui para frente é a Miriam Leitão falando mal da Dilma na televisão, e a gente falando bem dela (Dilma) na periferia. É o (William) Bonner falando mal dela no “Jornal Nacional”, e a gente falando bem dela em casa. Agora somos nós contra eles.

Ouvida, a TV Globo disse que seus jornalistas não falam mal de ninguém, mas apenas cumprem a sua obrigação de perguntar e noticiar fatos.


Que canalha esse Lula! Como se a Globo ou qualquer outro veículo de comunicação tivessem fabricado o mensalão, o assalto a Petrobras, e tantos outros escândalos, pois são tantos, que já perdemos até a conta. 

segunda-feira, outubro 20, 2014

De uma juíza federal que não perdeu a capacidade de se indignar

A divergência e o debate são comuns e saudáveis em uma democracia. Podemos discordar em muitos pontos, mas tenho certeza que concordamos nos principais valores básicos, essenciais à sociedade que sonhamos para o futuro.

Podemos discordar das privatizações, mas não precisamos aceitar que a roubalheira, o aparelhamento político e a incompetência tomem conta das nossas estatais.

Podemos admirar os programas sociais do PT, mas não precisamos aceitar um governo que mente descaradamente que seus adversários acabariam com eles em um óbvio terrorismo eleitoral.

Podemos não gostar dos EUA, mas não precisamos apoiar um governo que se alia as piores ditaduras do mundo e defende países terroristas.

Podemos não gostar da globo ou da veja, mas não precisamos de um governo que tenta controlar a imprensa.

Podemos não gostar do PSDB, mas não podemos aceitar um governo, que se dizia guardião da ética, viver mergulhado em escândalos diários, e se aliar e defender a escória da política nacional como Maluf, Collor, Renan, Sarney, Jáder Barbalho.

Podemos não gostar do Aécio, mas não podemos permitir que todas essa práticas sejam incentivadas, premiadas e perpetuadas.

Podemos querer outras alternativas,mas não podemos deixar no poder uma quadrilha cuja cúpula, mesmo presa na papuda, é tratada como heróis e continua filiada ao partido!

Não podemos deixar que continuem a sambar na nossa cara , infiltrando membros no STF para livrar seus pares, comprando o legislativo com mesadas, sangrando nosso país em benefício próprio e de ditaduras e pseudodemocracias. Se fizermos isso será um atestado de que somos tão sem-vergonhas quanto eles, que nada nos choca e tudo pode nessa terra porque não temos mais qualquer capacidade de indignação.

Se você não concorda com isso, é hora de mudar. Voto nulo, branco ou abstenção é o mesmo que endossar suas práticas.

É hora de união contra aqueles que tentam rachar o país, com um discurso irresponsável e preconceituoso de “nós” contra “eles”, “pobres” contra “ricos”, “negros” contra “brancos”, “povo” contra “elite branca”...

O sentimento não é meu, é de todo brasileiro que cansou e quer um país melhor. Eu votei no PT ao longo de toda a minha vida. Fui traída. PT nunca mais.

Dra Karla Maia, juíza federal.


LIBERDADE DE EXPRESSÃO. Relatório sobre imprensa critica censura de Cid Gomes à revista IstoÉ


O episódio em que o governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), conseguiu na Justiça a retirada de circulação da revista IstoÉ, em setembro deste ano, foi citado e classificado como um caso de "censura judicial" no relatório sobre a situação da liberdade de expressão no Brasil, apresentado pela Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), nesse domingo (20), em assembleia em Santiago, no Chile.    

"Como tem ocorrido historicamente, as decisões judiciais desse tipo, geralmente tomadas por juízes de primeiro grau, são inequivocamente institucionais e revistas pelos tribunais superiores, o que nem sempre repara o dano causado ao direito dos brasileiros de serem livremente informados", diz o relatório sobre o caso Cid X IstoÉ.

Em meados de setembro, a IstoÉ divulgou que o nome de Cid Gomes teria sido citado pelo ex-diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras Paulo Roberto Costa, em delação premiada à Polícia Federal, como um dos envolvidos no escândalo da Petrobras.

Logo após a publicação, a pedido dos advogados do governador, a revista foi tirada de circulação pela Justiça e todas as edições liberadas foram recolhidas. Três dias depois, o ministro do Supremo Tribunal Federal Luis Roberto Barroso cassou a liminar que censurava a IstoÉ por entender que havia "evidente interesse público na divulgação da reportagem". Na ocasião, Barroso defendeu que, como Cid se sentiu prejudicado, “deveria buscar a Justiça por reparação, não para impedir a circulação". Já na época, a decisão de Cid Gomes ganhou destaque e foi criticada nacional e internacionalmente.

O relatório apresentado na assembleia da SIP foi elaborado pela Associação Nacional de Jornais (ANJ) com o auxilio da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), que contabilizou 48 casos de agressões a profissionais da imprensa e sete casos de censuras judiciais. Foi destacada, ainda, a postura do PT diante da cobertura dos casos de corrupção na Petrobras. O partido chamou a atuação da imprensa de "golpe" e "conspiração midiática" com fins eleitoreiros.


* Com informações da Folha de S. Paulo.